Declaração de Campanha “Nós, Mulheres, somos Água”


No Dia Internacional da Mulher (8 de março), a  Global Alliance for Green and Gender Action – GAGGA (Aliança Global para Ações Ecológicas e de Gênero) lançará a campanha “Nós, Mulheres, somos Água” para chamar a atenção para o papel, as demandas e as ações que as mulheres têm desenvolvido, visando garantir a segurança hídrica, face às mudanças climáticas.

As crises interligadas da água, clima e COVID-19 compartilham as mesmas causas básicas: um sistema econômico profundamente injusto e patriarcal, baseado no extrativismo e no crescimento irrestrito. A GAGGA fornece uma plataforma para os Fundos, ONGs e organizações de base comunitária da sua rede, lideradas por mulheres, a fim de unir forças para resistir a este modelo explorador que polui a terra e a água das comunidades. Ao mesmo tempo, visa impulsionar uma mudança estrutural e uma recuperação justa que priorize as pessoas e o planeta, em vez do lucro.

Apesar dos enormes desafios, a pandemia e as crises climáticas combinadas também revelaram a resiliência da organização baseada na comunidade liderada por mulheres, bem como de práticas que muitas vezes dependem do conhecimento local, tradicional e indígena para garantir a água. Essas ações revelam a força e a criatividade da liderança feminina local, mobilizando apoio mútuo e respostas da comunidade.

Postaremos uma ou duas histórias todos os dias nas mídias sociais, conforme nos aproximarmos do Dia Mundial da Água (22 de março), com foco nas comunidades apoiadas pela GAGGA na África, Ásia e América Latina, por já estarem passando por insegurança hídrica devido às mudanças climáticas. Embora essas histórias constituam uma pequena amostra dessas iniciativas, elas refletem a realidade de muitas comunidades em todo o mundo.

A fragilidade hídrica dessas comunidades é agravada pelas ações de empresas, governos e investidores engajados em atividades extrativas, soluções climáticas falsas e agroindústria. Em todos esses projetos, os direitos humanos das mulheres, das comunidades locais e dos povos indígenas são violados devido à ausência de consulta, envolvimento e consentimento prévio.

A campanha publicará histórias de parcerias na Bolívia, Indonésia, Mongólia, Nigéria, Peru e África do Sul. Esses relatos comprovam o quanto o desinvestimento em combustíveis fósseis como carvão e petróleo, além de ser crucial para combater a crise climática, também contribui para garantir o direito das comunidades à água limpa, ampliando sua capacidade de adaptação às mudanças climáticas – especialmente durante uma pandemia global.

Também destacaremos os casos da Bolívia, Índia, Indonésia e Guatemala, onde governos e empresas promovem soluções técnicas para a crise climática, como energia hidrelétrica e geotérmica, visando a proteção dos lucros corporativos, embora impactem negativamente nos ecossistemas críticos, no acesso das pessoas à terra, na segurança alimentar e na água.

Por meio dessas histórias, pretendemos conscientizar empresas, governos e investidores de como suas ações estão aprofundando a precariedade e a contaminação da água nas comunidades, bem como informá-los sobre a liderança  das mulheres como defensoras da água. Juntas, exigimos que eles: 

  • Desinvistam em indústrias de combustíveis fósseis que violam o direito das mulheres à água.
  • Garantam o direito das mulheres à água por meio de soluções climáticas justas que contemplem gênero. As soluções devem ser sustentáveis e culturalmente apropriadas com a contribuição, consentimento e controle das mulheres, povos indígenas e comunidades locais.
  • Incorporem as demandas, necessidades, práticas e propostas das mulheres ao acesso, gestão e governança da água.

Somente unindo forças conseguiremos realmente garantir os direitos das mulheres à água potável e à participação das mulheres na tomada de decisões sobre uso, gestão e conservação da água. Então, junte-se à campanha e amplifique as vozes das mulheres defensoras ambientais, uma postagem por vez, com o objetivo de divulgar nossas demandas.        

Para links de gráficos, calendário de postagens e mensagens de mídia social, clique aqui.

Você pode acompanhar a campanha no Facebook, Instagram e Twitter, usando #WeWomenAreWater e #MujeresSomosAgua.

 

Ilustração por @Naandeyeah.

 


Related Post

October 2021 | Now is the time for urgent climate action

With extreme weather events impacting every region of the world in recent months and stark warnings from the latest IPCC report,…

See more

दक्षिणी विश्वका नारीवादीहरुका तर्फबाट कोप निर्णयकर्ताहरूका लागि : जलवायु न्यायका लागि आमूल परिवर्तन

“जलवायु न्यायको अर्थ… – अस्थिर उत्पादन, उपभोग र व्यापार सहितका जलवायु संकटका कारक तत्वलाई सम्बोधन गर्दै – समानता र मानव…

See more

Report | Intrinsically linked: gender equality, climate and biodiversity

The worldwide climate crisis, loss of biodiversity and continuing gender inequality are intrinsically linked. Solving the climate and biodiversity crises…

See more

Subscribe to our newsletter

Sign up and keep up to date with our network's collective fight for a gender and environmentally just world.